Compras feitas por Portugal a Angola dispararam mais de 260%

O valor das importações feitas por Portugal em Angola ascendeu a 231 milhões de euros, só entre Janeiro e Abril deste ano, um valor que compara com os 64 milhões registados nos mesmos primeiros quatro meses de 2017. O petróleo representa a fatia de leão destas vendas, mas há outros bens angolanos que estão a despertar a atenção dos portugueses. A venda de materiais têxteis angolanos a portugueses, por exemplo, disparou mais de 9000%, de acordo com as contas feitas pelo Mercado com base em dados pedidos ao instituto Nacional de Estatística (INE) português.  

De acordo com os dados do Banco de Portugal e INE as exportações, ou seja, as vendas feitas por Portugal a Angola caíram quase 19%, no mesmo período. Contas feitas, o saldo é negativo para Angola já que as exportações representam ainda 470 milhões, mas a tendência é de queda nas compras a Lisboa, já que entre Janeiro e Abril de 2017 representaram 578 milhões.  

Os dados do INE confirmam esta realidade e revelam que os “produtos minerais” onde estão incluídos “combustíveis minerais, óleos minerais e produtos da sua destilação; matérias betuminosas; ceras minerais” continuam a representar a fatia de leão das compras de Portugal em Angola, e registaram neste período um disparo de 307%, ou seja Portugal pagou por estes produtos mais de 223 milhões nestes quatro meses. Mas os produtos estrela foram os designados “matérias têxteis e as suas obras” que obtiveram um salto de mais de 9000% e ficaram em primeiro lugar no ranking se tivermos em conta a taxa de crescimento e mão o volume total. Já que as vendas de têxteis subiram de uns tímidos 4500 euros para cerca de 412 mil.  

Em segundo lugar nesta lista ficaram a categoria de produtos como “Calçado, chapéus e artefactos de uso semelhante, guarda-chuvas, guarda-sóis, bengalas, chicotes e suas partes; penas preparadas e suas obras; flores artificiais; obras de cabelo” cujas exportações de Luanda para Lisboa subiram quase 3500%. De referir ainda o crescimento de 212% na rubrica “Objetos de arte, de coleção e antiguidades”.  

 Compras feitas por Angola a Portugal estão em queda 

 A balança comercial continua negativa para Angola, mas a tendência inverteu. As exportações de Portugal para Angola caíram nos primeiros quatro meses do ano. Neste caso a maior queda de 48% foi de produtos do reino animal, de x para x. A categoria “máquinas e aparelhos, material elétrico, e suas partes; aparelhos de gravação ou de reprodução de som, aparelhos de gravação ou de reprodução de imagens e de som em televisão, e suas partes e acessórios” são a que tem maior peso nesta relação comercial, mas registou neste período uma queda de 22%. Apenas os “Objetos de arte, de coleção e antiguidades” registaram um crescimento e foi significativo de mais de 50%, dados que mostram que este negócio de arte entre os dois países está em crescimento, já que como referido anteriormente as vendas de bens desta categoria de Luanda para Lisboa também cresceu mais de 212%.  

Comentários