Moçambique aprova terceiro plano de exploração de gás no norte do país

O Governo aprovou ontem o Plano de Desenvolvimento do projeto Rovuma LNG, liderado pelas petrolíferas Eni e Exxon Mobil, para explorar gás natural na zona Mamba da Área 4 ao largo da costa norte do país.

15 Mai 2019 / 14:11 H.

Trata-se do terceiro plano de exploração de gás, maioritariamente para exportação, aprovado para a bacia do Rovuma e que deverá catapultar o Produto Interno Bruto (PIB) moçambicano para novos máximos a partir da próxima década.

“A aprovação do plano de desenvolvimento marca mais um passo significativo para se chegar à Decisão Final de Investimento (DFI) e ao início da construção ao longo do corrente ano”, disse Liam Mallon, presidente da ExxonMobil Development Company.

O mesmo consórcio - Mozambique Rovuma Venture (MRV), que integra a portuguesa Galp - já tinha anunciado em 2017 a DFI para a zona Coral Sul da Área 4, onde o gás natural vai ser extraído através de uma plataforma flutuante a partir de 2022.

A diferença está nas quantidades: enquanto que a plataforma vai fornecer 3,4 milhões de toneladas por ano (mtpa) de gás liquefeito, da zona Mamba vão sair em simultâneo cerca de 4,5 vezes mais, ou seja, 15 mtpa, previsivelmente a partir de 2024/25.

“Os contratos de compra e venda de 100% da capacidade das fábricas”, que em conjunto rondam aquele valor, “foram submetidos ao governo de Moçambique para aprovação”, acrescenta o comunicado do consórcio.

Temas