Lucros do Grupo Emirates caem 44% em 2018

Apesar da redução dos ganhos, o Grupo Emirates, constituído pela Emirates Airlines e pela Dnata, conseguiu lucros pelo 31º ano consecutivo.

14 Mai 2019 / 16:45 H.

O Grupo Emirates registou lucros de 631 milhões USD no ano fiscal que encerrou a 31 de Março, uma queda de 44% em relação ao ano passado. As receitas do grupo foram de 29,8 mil milhões USD, um aumento de 7% em relação ao ano anterior. Os números foram revelados pela assessoria de imprensa da companhia em Angola, que cita o relatório e contas anual 2018/19 da empresa.

Segundo o comunicado sobre o relatório, o saldo de caixa do grupo foi de 6 mil milhões USD, uma queda de 13% em relação a 2017/18, “principalmente devido ao grande investimento no negócio, que inclui aquisições significativas e o pagamento de dividendos avaliados em USD 545 milhões do ano passado”.

O documento revela que, em linha com o lucro total, o grupo declarou dividendos de USD 136 milhões para a Investment Corporation of Dubai 2018-19.

Sua Alteza Sheikh Ahmed bin Saeed Al Maktoum, Presidente do grupo e chefe executivo da Emirates Airlines explica que “2018-19 foi um ano difícil e o desempenho do grupo não foi tão forte o quanto gostaríamos”. “O preço alto do petróleo e o fortalecimento do dólar norte-americano afectaram as nossas receitas. O aumento da demanda internacional para o transporte de carga aérea, que se registou no ano passado, sofreu um recuo, vimos também a demanda por viagens a diminuir, particularmente na nossa região, e isto teve impacto negativo tanto na Dnata como na Emirates”.

O Presidente do grupo adianta que “cada ciclo de negócios é diferente e continuamos a trabalhar de forma inteligente para enfrentar os desafios e aproveitar as oportunidades”.

“Nosso objectivo sempre foi construir um negócio lucrativo, sustentável e responsável, baseado no Dubai, e esses princípios continuam a orientar as nossas decisões e investimentos. Em 2018-19, a Emirates e a Dnata conseguiram pelo 31º ano consecutivo lucros, registaram crescimento em todo negócio e investiram em iniciativas e infra-estrutura que garantirão o sucesso futuro dos nossos negócios”, reforça.

Em 2018/19, o Grupo investiu 3,9 mil milhões USD para aquisição de novas aeronaves, equipamentos, empresas, instalações modernas, as mais recentes tecnologias e com iniciativas que envolveram o pessoal, um aumento significativo em relação ao investimento do ano passado que foi de 2,5 mil milhões USD.