Lucros da dona da Zara crescem 2% para 3.444 milhões

O grupo espanhol Inditex registou um resultado líquido de 3.444 milhões de euros em 2018, o que representa uma subida de 2% face ao ano anterior. A empresa liderada por Amancio Ortega viu também o seu EBITDA – lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização – aumentar 11%, para 5,46 mil milhões de euros.

Lisboa /
13 Mar 2019 / 13:06 H.

As receitas líquidas cresceram 3%, para os 26,15 mil milhões de euros e as vendas on-line subiram 27%, para 3,2 mil milhões de euros. “Foi a primeira vez na sua história que ultrapassaram os 26 mil milhões de euros [em vendas], mas ainda assim ficaram aquém dos 26,38 mil milhões de euros antecipados pelos analistas”, salientou Ramiro Loureiro, trader do Millennium bcp, num research de mercado publicado esta manhã.

A empresa que detém lojas como a Zara, Pull and Bear, Massimo Dutti, Bershka, Stradivarius ou Oysho prevê para este ano um crescimento de vendas entre 4% e 6%, sendo que o conselho de administração vai propor um aumento de 18% no dividendo, para 0,88 euros por ação.

“[O grupo] Inditex foi muito ativo na optimização do espaço comercial durante o ano (370 aberturas, 355 absorções e 226 reformas, incluindo 112 extensões). No final do ano, operava num total de 7.490 lojas. Em 2018, foram feitas aberturas em 56 mercados. Para fortalecer a posição estratégica da Inditex, 90% da área comercial foi optimizada no período 2012-2018”, comentou a empresa, no último relatório e contas.

Ontem, Aitor Méndez, analista da IG, destacou que, mesmo antes da publicação dos resultados da Inditex, começou a haver uma pressão negativa sobre o valor da empresa. “Isto acontece depois de ter aumentado 23,89% desde o início do ano para o máximo de 2019 gerado no último dia 6 de março. O mercado lembra os últimos movimentos das acções após a apresentação dos resultados com fortes reviravoltas na cotação”, explicou o especialista.