Indícios de recessão da economia norte-americana penalizam Wall Street

Nos Estados Unidos, a curva dos juros a dois anos inverteu esta quarta-feira pela primeira vez desde 2007, algo que os investidores encaram como um sinal de que a maior economia mundial poderá entrar em recessão.

EUA /
14 Ago 2019 / 15:37 H.

Os três principais índices da bolsa de Nova Iorque abriram a terceira sessão da semana com perdas, não conseguindo prolongar os ganhos que se registaram no encerramento na véspera.

Os índices foram impulsionados pelo anúncio da retoma das negociações comerciais entre os Estados Unidos e a China e ainda pelo adiamento das novas tarifas aduaneiras norte-americanas às exportações chinesas.

No entanto, esta quarta-feira, o sentimento do mercado está a ser penalizado por causa dados sobre o desempenho das economias chinesa e alemã e ainda pela inversão da curva das taxas dos juros da dívida soberana norte-americana a dois e a dez anos, indiciando que a maior economia mundial poderá entrar em recessão.

Em relação à guerra comercial, os investidores mantêm-se inquietos porque está a começar a ter impacto na economia mundial.

Na China, os dados publicados esta quarta-feira demonstraram que a produção industrial caiu para valores mínimos desde 2002, recuando 4,8% em Julho deste face a igual período do ano passado.

E, na Alemanha, a contracção do PIB em 0,1% também indicia dificuldades económicos para a zona euro, temendo-se que a Europa entre em recessão este ano.