Grupo Volkswagen prevê despedir 7 mil trabalhadores até 2023

Apesar da empresa alemã ter garantido aos funcionários o emprego até 2025, já anunciou que seriam realizados 7 mil despedimentos até 2023. Esta medida acontece com a mudança para a eletrificação.

Angola /
13 Mar 2019 / 15:33 H.

A alemã Volkswagen anunciou ontem que iria electrificar a marca. No entanto, hoje surgiram novas informações onde o gigante automobilístico alemão anunciou que iria despedir entre cinco e sete mil trabalhadores até 2023.

Segundo a Volkswagen, na conferência anual em Wolfsburgo, na Alemanha, esse valor pode baixar se a empresa não contratar novos empregados para substituir quem se reforma. “O número de empregados elegíveis para a reforma é aproximadamente de 11 mil, por isso a reestruturação ao longo da curva demográfica é possível”, afirmou a empresa na conferência.

A Volkswagen irá criar dois mil empregos na parte de desenvolvimento técnico, para apoiar as novas arquiteturas eléctricos e o software utilizado. A empresa alemã confirmou aos seus funcionários uma garantia de emprego até pelo menos 2025.

Ainda assim, nem tudo são más notícias para a Volkswagen. A multinacional alemã anunciou que o investimento vai ser de 19 milhões de euros, alterando o valor anterior de 11 milhões de euros. Este novo valor vai permitir que a marca se foque na mobilidade eléctrica, na condução autónoma e em novos serviços de mobilidade e digitalização, entre 2019 e 2023. Do total deste valor, 4,6 milhões de euros vão destinar-se aos novos sistemas de tecnologia da informação para o avanço da digitalização nos processos administrativos-

A Volkswagen garantiu que o seu objectivo na alteração de combustível, é utilizar os seus próprios recursos de forma a mitigar os crescentes custos das regulamentações de emissões de dióxido de carbono (CO2) cada vez mais rigorosas.

A firma alemã vai implementar um programa para melhorar os lucros, com o objetivo de aumentá-los para alcançar 5,9 milhões de euros anuais a partir de 2023. Além de estar a reduzir os custos de material, uma vez que o material eléctrico necessita de menos manutenção, a Volkswagen espera aumentar a produtividade nas fábricas em 5% por ano.

Arno Antlitz, responsável pelas finanças da Volkswagen, explicou que “as medidas do programa de melhoria de lucro vão permitir à nossa marca atingir uma margem de lucros de 6% em 2022”. Ainda assim, o financeiro afirma que esta melhoria “é a base para financiar as despesas iniciais necessárias para a transformação, além de cumprir as aspirações estratégicas no mercado eléctrico”.

Para conseguir algumas receitas, na conferência de imprensa, a Volkswagen admitiu que o prazo de pré-reserva para o eléctrico ID, que apenas vai ser apresentado no próximo Salão Internacional Automóvel de Frankfurt, já se encontra aberta. A marca prevê construir 10 milhões de veículos eléctricos na plataforma própria MEB durante a próx