Falta de matéria-prima inviabiliza produção do azeite português em Angola

A informação foi prestada nesta quinta-feira, em Luanda, pelo representante comercial da EZOL fabricante dos referidos azeites, Gonçalo Correia.

Angola /
11 Jul 2019 / 11:45 H.

Em declarações a Angop, na 35ª edição da Feira Internacional de Luanda (FILDA/2019), que decorre Zona Económica Especial (ZEE) Luanda Bengo), o representante sublinhou que a facturação de cerca de quatro milhões de euros para Angola anualmente, cuja quota de mercado angolano ronda aos 15%, a empresa não fecha a porta a ideia de um dia montar uma linha de enchimentos.

“Não iríamos acrescentar valor a Angola porque teriam de importar 100% do produto para fazer o enchimento, o que seria mais caro. Com o desenvolvimento do mercado angolano e de toda indústria estará aberta aos desafios, porque é um mercado que gostamos de estar e nos sentimos bem”, frisou.

Produtos e serviços ligados à banca, telecomunicações e tecnologias de informação, petróleos, transportes e logística, indústria e turismo, construção civil, intermediação imobiliária, agricultura, estão patentes na feira, que encerra neste sábado.