Bancos centrais da SADC abordam sistema financeiro regional

Responsáveis de treze Bancos Centrais (excepto da RDC) dos países membros da Comunidade de Desenvolvimento para África Austral (SADC) estão reunidos, a fim de analisar questões ligadas ao desenvolvimento do sistema dos mercados financeiros desta sub-região continental.

Angola /
08 Fev 2019 / 10:54 H.

Os participantes vão analisar o estágio de desenvolvimento de políticas financeiras regionais harmonizadas para responder ao protocolo da SADC, bem como farão uma abordagem sobre a realidade do subcomité de Bolsas de Valores e a sua interacção com os mercados financeiros, para que os reguladores possam intervir do ponto de vista de políticas e procedimentos.

Segundo o director do Departamento de Mercados e Gestão de Reservas do Banco Central de Moçambique, Umaia Mahomed, a estratégia sobre o desenvolvimento dos recursos humanos dos bancos centrais dos países membros da SADC vai igualmente merecer discussão durante dois dias de encontro em Benguela.

Referiu que Moçambique há algum tempo participa destes eventos, quer através do comité coordenador como dos subcomités regionais dos mercados financeiros, e desta vez vai partilhar a sua experiência sobre o mercado cambial e as relações existentes entre o mercado de capitais e o monetário.

Para si, os principais desafios da banca moçambicana, neste momento, são no sentido de encontrar uma estabilidade financeira, depois da crise que o país conheceu, sendo que as políticas macroeconómicas estão sendo dirigidas neste sentido.

Considerou que, no caso de Angola, espera-se a partilha de informações mais actualizadas que o banco anfitrião vai disponibilizar, devendo dar-se mais ênfase aos “Mercados Financeiros”, havendo um subcomité dos governadores que vai se reunir na próxima semana, onde serão debatidas questões macroeconómicas.

Para a área dos mercados financeiros, o responsável acrescentou, “o que esperamos ouvir de Angola é como foi possível conseguir a transição desde o período de uma crise mais profunda, que viveu, até chegar a este estágio de estabilidade que vai conhecendo”, além de quais são os produtos que o sector financeiro está trazer, assim como as respostas que o regulador (Banco Central) está a encontrar para o desenvolvimento do sector financeiro.

“ Para agrado dos países membros, neste momento já existe harmonização no sistema de pagamentos da comunidade, onde uma plataforma electrónica garante a integração regional do sistema de pagamentos, apesar de que alguns países (cujo número não precisou) ainda não estão nesta plataforma”, frisou.