Brunch With…Rute de Sousa

Por Karine Manita

Karine.manita@mediarumo.co.ao

Rute de Sousa vem de uma família pequena, ladeada de mais duas manas, e tem no pai a descrição de homem rígido, consequência da sua carreira militar, mas que ao mesmo tempo lhes contava histórias antes de dormir, levava-as ao parque da ilha de Luanda, mas era exigente, conta que repreendia só com um olhar .“Ele sabia repreender no momento certo”. A mãe, no entanto, era mais tolerante, esse equilíbrio ajudou-a a tornar-se no que é hoje, sonhadora e batalhadora. Para Rute, “educação é ensinar a construir os sonhos com alicerces”.

Quando fala da mãe, os olhos brilham, pois ela viveu de forma agridoce e sempre aceitou a sua vida com muita gratidão. Ela ensinou Rute a combater o ódio com amor; se levarmos a vida com muita gratidão, tudo fica mais leve. “A minha mãe sempre foi doméstica e ajudava-me a vivenciar os meus sonhos”, os seus pedidos eram quase uma ordem, e os seus sonhos de menina quase sempre eram realizados. “Nos aniversários, ela confeccionava tudo. Se eu pedisse um bolo de comboio ou de boneca, ela fazia, a minha família sempre me apoiou em tudo.”

Durante a sua infância não faltavam bonecas, brincadeiras na areia, e adorava jogar à macaca. Rute recorda: “Eu tinha sete bonecas, e sempre fui muito vaidosa nas minhas brincadeiras, punha perucas, os batons da minha mãe e sapatos com salto alto.” Rute sempre teve uma mente muito imaginativa.

O seu percurso académico começou em Angola, onde ficou até à 4.ª classe, depois foi para Portugal, fez a sua formação na área de estética e spasna Escola Europeia de Estética, que terminou aos 19 anos e também onde se licenciou em Fisioterapia em 2004. Mas Rute podia ter várias profissões, pois formou-se em áreas muito distintas, desde as diferentes técnicas de estética, aromaterapia, óleos essenciais, e várias terapias do foro espiritual, desde o reiki ao alinhamento de chacras, reflexologia, massoterapias e de equilíbrio mental, acupunctura, e fez cursos técnicos de empreendedorismo, gestão de empresas para criar bases e estrutura para gerir o seu futuro negócio. Mas o seu primeiro emprego foi a vender cachorros numa praia de Cascais, e já naquela altura ganhava bem, e adorava estar junto ao mar, num lugar privilegiado pela natureza. Mas Rute é uma sonhadora nata e abriu em 2005, com localização privilegiada junto ao Casino Estoril, o seu primeiro negócio e, alguns anos depois, de regresso a Luanda, abriu o Rute Sousa  Neo-Spa num hotel, onde esteve durante 10 anos a desenvolver todos os conhecimentos que foi adquirindo, trazendo inovação à área de estética, medicina alternativa e cuidados com a mente. De regresso a Luanda, a adaptação não foi muito fácil, e mesmo sendo angolana não tinha muitas referências culturais da terra. Teve de adaptar-se e criar condições para ter qualidade nos seus serviços.

Na área de recursos humanos, não havia pessoas formadas com serviço de qualidade e, como já tinha um curso de formação para formadores dentro da área de estética, então criou dentro do Rute Sousa Neo-Spa uma escola de formação. “Fui aprendendo a viver na nossa realidade, resolvi criar condições para que o País me aceitasse.” Rute foi usando matérias locais, produtos nacionais e desenvolveu as suas terapias de forma a valorizar cada vez mais o que a terra angolana lhe oferecia. “Achei
que era uma mais-valia começar a explorar as plantas daqui, e um ponto muito importante para o sucesso no empreendedorismo é mesmo seres criativo”, e assim se passaram 10 anos de um projecto na área de estética que desencadeou outro sonho a realizar.

Terapias direccionadas para a criança

Neste momento, Rute continua a trabalhar as terapias direccionadas para a criança. Percebendo que as mães tinham problemas durante a gravidez e que as crianças já nasciam com transtornos nos sentidos cognitivos e de locomoção, fez um estudo sobre tudo isso e sobre o lado espiritual, e entendeu que começar a trabalhar o equilíbrio mental de uma criança através das terapias a partir da gravidez e até aos primeiros anos de vida tornava possível um equilíbrio mental maior, uma personalidade mais equilibrada e um carácter flexível e, em consequência, seria um adulto com uma formação excelente para qualquer ramo em que optasse por trabalhar.

Nessa altura, começou a estruturar um novo projecto direccionado para crianças e abriu uma escola, com um programa de inclusão onde há espaço para todas as crianças normais com necessidades especiais, onde elas podem ser vistas de forma normal e conseguem ter um espaço numa sociedade aceitável aos olhos dos outros e adaptável a elas.
Assim nasceu em 2017 a escola primária de inclusão e ATL, com capacidade para crianças normais, autistas, cegas, surdas mudas e com síndrome de Down. “Estamos em Luanda, no Projecto Nova Vida.” Esta escola foi inspirada numa filosofia que ensina a criança a ser livre e a ganhar dentro da sua liberdade defesas para ser inserida num mundo cruel em que ela sozinha tem de aprender a valorizar-se.

O objectivo é a criança desenvolver-se na área da arte, música, nas actividades físicas para com equilíbrio viver neste mundo, proporcionando-lhes bases sólidas para a vida. Para tal, Rute escolheu os melhores profissionais dentro dessas áreas para que o projecto fosse concretizado com sucesso. “O meu desejo é ser uma referência no ensino e conseguir tocar as outras instituições a inspirarem-se em nós.” A nível pessoal, Rute, sorridente, diz: “Eu adoro a minha companhia, de estar sozinha comigo.” Gosta de jazz, de dançar semba, adora cantar alto, gosta de ler sobre arte, cultura, auto-ajuda, espiritualidade, conhecimento e liderança, e de escrever os seus pensamentos. “Não faço planos pessoais, pois o amanhã é incerto, mas o único desejo que tenho é ter saúde e ser feliz.”

Comentários