Refinaria petrolífera de Luanda paralisa actividade para manutenção

A Refinaria de Luanda paralisou, desde as primeiras horas do dia 01 deste mês, as operações de produção na Refinaria de Luanda, para realização das actividades programadas de manutenção geral dos diversos sistemas.

A paragem geral, em curso desde as primeiras horas do dia 1 de Outubro de 2018, não deverá ser superior a 60 dias, de acordo com uma nota de imprensa da Sonangol.

Na nota, a Sonangol sublinha que a referida paragem é uma acção cíclica normal no funcionamento das refinarias e tem por objectivo a realização de intervenções profundas para reabilitação, substituição e modernização das instalações, preparando-as para um novo ciclo de actividade.

Esta interrupção temporária das operações na refinaria de Luanda não terá impacto na distribuição de derivados de petróleo à população, uma vez que foram acautelados os stocks necessários de gasolina, gasóleo e outros.

De notar que a Refinaria de Luanda produz 20%das necessidades do País, em termos de derivados de petróleo.  O País consome diariamente cinco mil metros cúbicos de gasolina.

Em Junho deste ano, a Sonangol e a italiana ENI assinaram um acordo que consiste na prestação de serviços de assistência técnica e financeira à Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola – Sonangol, num período de 30 a 36 meses e desdobrará em dois módulos.

O primeiro, orçado em USD 60 milhões, está relacionada com o planeamento, organização da paragem para manutenção geral da Refinaria de Luanda, elaboração e desenvolvimento de um modelo económico e operacional para a mesma, de maneira a melhorar toda área operacional do trabalho e sua sustentabilidade.

Comentários