Privatizações em bolsa são “preferenciais”

Por: Ricardo David Lopes

O programa de privatizações do Governo deverá ser divulgado após a aprovação, pela Assembleia Nacional da Lei de Bases das Privatizações, revelou hoje em Luanda a secretária de Estado das Finanças e do Tesouro, sem indicar datas.

De acordo com Vera Daves, que falava aos jornalistas à margem da inauguração da Feira do Investidor, uma iniciativa da Comissão do Mercado de Capitais (CMC), na Mediateca de Luanda, o programa de privatizações “está aprovado” e integra “um conjunto de companhias” públicas cujos nomes, contudo, a governante se escusou a revelar.

Vera Daves sublinhou que as privatizações deverão constituir um “processo transparente”, sendo “preferencial” a alienação de participações do Estado através da bolsa (Bodiva).

“Queremos empresas eficientes, rentáveis, que gerem resultados, paguem impostos e criem empregos de qualidade”, afirmou.

Mário Gavião, presidente do conselho de administração da Comissão do Mercado de Capitais (CMC), considerou que “em alguns casos”, pode fazer sentido que capital estrangeiro entre no processo de privatizações, na medida em que há entidades externas que “podem trazer know how” às empresas angolanas.

No entanto, problemas como a “pressão cambial”, que se mantém apesar de haver “algumas melhorias no cenário macroeconómico”, vão, numa primeira fase, dificultar a entrada de estrangeiros no mercado de acções, à semelhança do que se tem verificado na negociação de título de dívida pública em mercado secundário na Bodiva.

A Feira do Investidor iniciou-se hoje em Luanda e termina na próxima sexta-feira, dia 5 de Outubro. O evento, integrado na World Investor Week, tem como “principal objectivo destacar a importância da educação financeira e da protecção do investidor, ao mesmo tempo que visa proporcionar oportunidades de aprendizagem relacionadas com o investimento”, de acordo com a CMC.

A Feira conta com “palestras e diversas actividades relacionadas com o sistema financeiro, para além da exposição de informação e conteúdos de interesse relacionados com o Mercado de Valores Mobiliários em Angola”.

O evento conta com a parceria de instituição financeiras como o BAI, Banco Sol, BPC, BFA, Banco Económico, Banco Keve, Standard Bank Angola, a par do Banco Nacional de Angola e Conselho Nacional de Estabilidade Financeira.

O evento enquadra-se no âmbito de actividades realizadas durante a Semana Mundial do Investidor (de 1 a 7 de Outubro), iniciativa promovida pela Organização Internacional das Comissões de Valores (IOSCO), de que a CMC faz parte deste há cerca de um ano.

 

Comentários