Importações caem 49% nos últimos quatro anos

Por: Rúben Ramos 

O País baixou as importações de mercadorias em 49%, nos últimos quatros anos, reflectindo uma diminuição na ordem dos 14 mil milhões USD, segundo informações disponibilizadas pelo Departamento de Estudos e Estatística (DES) do Banco Nacional de Angola (BNA).

Cálculos do Mercado com base na supracitada fonte, revelam que em 2017, cerca de 66% do total das importações incidiram em bens de consumo final ou corrente, nomeadamente aqueles que satisfazem directamente as necessidades individuais, como alimentos, bebidas, roupas ou electrodomésticos, cuja produção interna apresenta grandes insuficiências.

Por sua vez, os bens de consumo intermédio, durante o mesmo período, representaram o equivalente a 11% do total das importações, mais 13 pontos percentuais (p.p.) em relação ao verificado na classificação dos bens de capital.

Entre 2014 e 2017, o somatório das importações de bens de consumo intermédio e bens de capital tem sido inferior às importações de bens de consumo corrente, ou seja, o Governo gasta mais em produtos finais vendidos directamente ao consumidor final, em detrimento dos bens de consumo intermédio e bens de capitais juntos.

Contas feitas, em 2017, a factura de importações da economia angolana fixou-se em 14,4 mil milhões USD, distribuídos em 9,5 milhões USD em bens de consumo corrente, 1,5 milhões USD em bens de consumo intermédio e 3,3 mil milhões USD destinados à importação de bens de capital.

Leia mais na edição 174 do Jornal Mercado, já nas bancas!

Comentários