Montante negociado em Junho atinge máximo do semestre

O secundário de dívida pública, gerido pela Bolsa de Dívida e Valores de Angola (Bodiva), em Junho último, foi de 82,5 mil milhões Kz, o maior resultado mensal até ao momento.

O montante foi superior em 20% face ao anterior recorde de 68,9 mil milhões Kz registrado em Abril. Nesta primeira parte do ano, o total movimentado no mercado bolsista rondou os 358,4 mil milhões Kz.

De acordo com os dados estatísticos desta instituição, o resultado de Junho evidencia um aumento de 30% face ao mês anterior, ao passo que em termos homólogos o montante quase duplicou (92%) face aos 43 mil milhões Kz movimentados na altura. Do total negociado no mês em referência, cerca de 25% foi realizado em ambiente bilateral, e os demais 75% disponíveis na plataforma de negócio multilateral.

Em termos de pricing, os preços médios praticados para as obrigações indexadas foram de 103,39 Kz, e para as obrigações em moeda nacional fixaram-se em 61,83 Kz, ao passo que os preços médios dos bilhetes do Tesouro rondaram os 916 Kz. Quanto às maturidades mais procuradas, o destaque recai nas que vencem em três anos, ou seja, em 2020, cabendo a estas a movimentação de pouco mais de 29,2 mil milhões Kz, seguidas pelos títulos com prazo limite para o final do ano corrente, tendo a estas cabido o montante de 25,4 mil milhões Kz. Os investidores demonstraram ainda forte apetência por títulos a vencerem em 2023, tendo estes movimentado cerca de 12 mil milhões Kz.

Acesso ao investimento em títulos do tesouro

Os investidores individuais contam desde o início da semana com um novo canal, o Portal do Investidor, para compra de títulos do Tesouro.

O instrumento é mais simples e prático, que possibilita ao cidadão comum rentabilizar a poupança, sem necessidade de recorrer a mecanismos burocráticos ou às anteriores limitações que, à partida, eram de exclusividade dos mercados primário e secundário.

De acordo com a secretária de Estado do Tesouro, Vera Daves, o novo instrumento financeiro enquadra-se na iniciativa que o Ministério das Finanças acredita ser a democratização do acesso ao investimento em títulos de Tesouro.Na prática, o Portal do Investidor dá flexibilidade e liberdade ao investidor. Porém, antes de o cidadão aceder ao portal, deve ter uma conta aberta junto de um banco membro da Bodiva.

O valor mínimo exigido para investir via Portal do Investidor está fixado em 50 mil Kz, e o máximo em 7 milhões Kz para os bilhetes do Tesouro e 20 milhões para as obrigações. A tributação dos rendimentos será feita de acordo com a lei, isto é, 10% para os BT e 5% para as OT. Com esta iniciativa, o Ministério das Finanças pretende revolucionar o acesso dos cidadãos à bolsa de valores, permitindo que qualquer pessoa com ligação à Internet possa primeiro simular a compra de títulos, perceber qual é o rendimento e, caso tenha interesse, avançar com a compra efectuando o pagamento por via de um ATM e futuramente pelo internet banking.

Comentários