Angola promete ser modelo da nova cooperação com a China em África

A visita oficial à China feita pelo Presidente angolano saldou-se na assinatura de 138 contratos e garantias de empréstimo de 2.300 milhões de dólares (2.000 milhões de euros), noticiou hoje a imprensa angolana.

Num encontro com o primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, na terça-feira passada, o Presidente angolano prometeu que os financiamentos obtidos, bem como os que vier a contratar, irão ser “bem utilizados” nos projectos de desenvolvimento em Angola, garantindo também que o país pretende constituir-se como “modelo” na nova cooperação que a China pretende efectuar no continente africano.

As promessas e garantias de João Lourenço foram ao encontro da nova visão defendida por Pequim durante o Fórum de Cooperação China África (FOCAC), que decorreu no início de Setembro, também na capital chinesa, assente no princípio da sustentabilidade dos projectos a serem financiados pelas instituições creditícias chinesas.

No entanto, as autoridades dos dois países reconheceram que, no passado, os fundos postos à disposição da cooperação bilateral poderiam ter sido mais bem utilizados.

O ministro das Finanças, Archer Mangueira, afirmou que o financiamento de 2.000 milhões de dólares (1.710 milhões de euros) acordado com o Banco de Desenvolvimento da China vai ser destinado a projectos de sectores como a Construção, Energia e Indústria, capazes de alavancar o sector produtivo, diversificar a economia e alterar a trajectória de endividamento público do país.

Comentários