“Temos uma grande preocupação em devolver à comunidade o que ganhamos”

Projecto Heróis de Azul existe há dois anos e inclui assistência médica, distribuição de material escolar, alimentos, vestuários, bem como o encaminhamento para centros de acolhimento, assim como aconselhamento para que as pessoas deixem de estar na condição de pedintes.

Luanda /
11 Jun 2019 / 17:29 H.

O Standard Bank Angola criou, há dois anos, o projecto Heróis de Azul, que, para além de outras iniciativas de responsabilidade social, tem como objectivo primário devolver um pouco dos lucros do banco à comunidade, de acordo com o CEO Luís Teles.

A instituição entende que a actividade financeira não é apenas a mais importante para ser um banco de sucesso, por isso preocupa-se em conceder crédito, em inovar, potencializar os investimentos e devolver os ganhos à comunidade.

“O Standard Bank está aqui para apoiar as comunidades. É algo que nos orgulha muito poder investir. Vamos aumentar o investimento nos próximos anos, não só ao nível de equipamentos, mas também ao nível de voluntários e comunidades que serão apoiadas. Não queremos fazer sozinhos, interessa-nos ter parceiros. Pretendemos fazer parcerias com o Ministério da Educação e da Saúde para podermos ter um maior alcance desta iniciativa”, disse Luís Teles esta manhã na apresentação de novos equipamentos que visam apoiar o projecto.

O Projecto Heróis de Azul é uma iniciativa de responsabilidade social que existe há dois anos. Tudo começou com ajuda a um grupo de médicos que se dedicava a prestar assistência médica às comunidades e o Standard Bank decidiu juntar-se a ele. A iniciativa passou por mais de 20 comunidades em Luanda, Benguela, Huambo Cabinda e Cunene.

“Temos maior presença em Luanda porque também é onde temos maiores voluntários, mas temos estado a desafiar os nossos parceiros para apoiarmos mais pessoas fora de Luanda. O apoio inclui assistência médica, distribuição de material escolar, alimentos, vestuários, bem como o encaminhamento para centros de acolhimento, assim como aconselhamento para que as pessoas deixem de estar na condição de pedintes, porque o objectivo principal é desenvolver as pessoas”, salientou Jerson Domingos, coordenador do projecto Heróis do Azul.

Para o responsável, o valor que está a ser investido não é o mais importante, uma vez que não é possível calcular matematicamente o valor do sorriso de uma criança. “A nós satisfaz mais o apoio que podemos dar ao nível da qualidade de vida de um idoso que não tinha acesso aos cuidados de saúde. Portanto, o nosso maior ganho é sentir que somos mais que um banco”, conclui.

Temas