Timor: projecto petrolífero cria 10 mil trabalhos directos e 50 mil indirectos

O Projeto Tasi Mane, ligado ao sector petrolífero, na costa sul de Timor-Leste, deverá criar até 10 mil postos de trabalho directos até 50 mil empregos indirectos, segundo o programa do VIII Governo, que será debatido esta quarta-feira no parlamento.

O projeto “é um programa plurianual que visa a criação de três polos industriais, considerados a espinha dorsal da indústria petrolífera timorense”, refere o documento.

O executivo prevê que o projeto contribua para o aumento do Produto Interno Bruto (PIB) nacional e dos lucros de exportação, criando oportunidades de emprego durante a construção e operação das infraestruturas conexas, além de funcionar como um catalisador do desenvolvimento da Costa Sul.

“Prevê-se que até 10.000 postos de trabalho diretos sejam gerados, a partir do projeto Tasi Mane, e mais de 50.000 postos de trabalho indiretos possam ser criados, com a transformação do setor petrolífero da fase atual de pura extração para uma fase mais avançada de industrialização e criação de valor acrescentado”, adianta o executivo.

A curto prazo, afirma o programa, o Governo “irá continuar empenhado nas negociações com as empresas envolvidas no processo relativo ao Greater Sunrise, para concretização do regime especial para os Campos do Greater Sunrise, previsto no tratado de delimitação de fronteiras marítimas entre Timor-Leste e a Austrália, que foi assinado em março de 2018″.

Este projecto inclui a construção da Base de Apoio de Suai -, zonas logísticas, residenciais e industriais – a refinaria de Betano, uma unidade de processamento de Gás Natural Liquefeito (GNL), um porto, a autoestrada Suai-Beaço e o gasoduto até ao campo Greater Sunrise, no mar de Timor.

 

Comentários