Tarifas de Trump colocam Wall Street no vermelho

Os índices norte-americanos estão a ser penalizados pela nova escalada na guerra comercial.

As bolsas norte-americanas negoceiam em terreno negativo, tal como das praças europeias e asiáticas, com os mercados accionistas a serem pressionados por um novo episódio na guerra comercial, segundo o Jornal de Negócios.

O Dow Jones desce 0,61% para 24,767,12 pontos e o Nasdaq recua 0,57% para 7.715,09 pontos. O S&P500 desvaloriza 0,53% para 2.779,19 pontos.

A nova lista de tarifas dos EUA sobre importações chinesas avaliadas em 200 mil milhões de dólares está a aumentar os receios em torno da guerra comercial, e penaliza a negociação bolsista um pouco por todo o mundo.

Os principais índices europeus caem mais de 1% e na China o Shanghai Composite cedeu 1,8% e o CSI300 caiu 1,7%.

O representante norte-americano para o Comércio, Robert Lighthizer, divulgou na passada terça-feira uma lista de produtos adicionais que poderão ser alvo de tarifas de 10%. Entre eles inclui-se marisco, fruta e vegetais, fio de algodão, lã, casacos impermeáveis e luvas de basebol. Lighthizer declarou, citado pelo Financial Times, que esta nova medida pelo facto de a China estar a retaliar na mesma medida. “Está a fazê-lo sem qualquer justificação ou base legal internacional”.

A guerra comercial volta assim em força a condicionar os mercados accionistas, depois de nas últimas sessões as acções terem valorizado devido ao optimismo com os resultados do segundo trimestre.

 

Comentários