Países da África Ocidental vão ter mais dificuldades em pagar a dívida

A agência de notação financeira Moody’s considera que o Quénia, Ruanda, Tanzânia e Uganda são países da África Ocidental que vão enfrentar grandes desafios em termos de pagamento da dívida pública, que aumentou significativamente.

Na análise a estes quatro países da África Ocidental, uma região que inclui os lusófonos Cabo Verde e Guiné-Bissau, a Moody’s diz que “o aumento do peso da dívida reduziu o espaço para implementação de políticas e influenciou negativamente a avaliação sobre a força orçamental” destes países, que é um dos fatores considerados pela agência quando decide sobre a qualidade do crédito soberano dos países.

O Quénia é o país que tem o maior peso da dívida face à riqueza do país, enquanto o Ruanda é o que teve a acumulação mais rápida de dívida, acrescenta a Moody’s, notando, por outro lado, que “o aumento na contração de dívida comercial amplificou os riscos cambiais no Quénia e na Tanzânia”.

Nestes quatro países, que representam a maioria do PIB desta região africana, “o peso dos juros da dívida está a consumir mais recursos do que no passado”, escreve a Moody’s.

Comentários