Fitch diz que vitória de Bolsonaro é mais favorável à economia do Brasil

Em comunicado hoje divulgado, a Fitch espera que atividade económica no Brasil inicie a recuperação em 2019, à medida que o rumo político do país se clarifique e estabilize após as eleições gerais de 7 de Outubro.

No entanto, se Fernando Haddad ou Ciro Gomes ganharem as eleições no Brasil, os mercados financeiros provavelmente irão retrair-se de forma significativa, adianta a mesma análise, salientando que os dois candidatos defenderam a revisão das reformas económicas realizadas nos últimos dois anos.

A eleição de um presidente de esquerda, “provavelmente geraria maiores incertezas sobre a direção da política” brasileira e teria impacto na atividade económica em 2019, considera a Fitch.

Um ambiente político mais favorável que o atual poderia impulsionar o investimento e um crescimento económico mais robusto a médio prazo do Brasil, conclui a agência.

Atualmente, “as perspetivas de crescimento do Brasil estão sujeitas a um grau incomum de incerteza”, refere a agência.

“Ao mesmo tempo, o ambiente externo tornou-se mais favorável”, considera a Fitch, nomeadamente porque as taxas de juros dos EUA reduziram amplamente a pressão sobre o mercado.

Se as taxas de juros estiverem baixas, o consumo privado provavelmente aumentará e a recuperação económica do Brasil, poderá prosseguir”, refere a Fitch.

Comentários