Economia sul-africana em recessão pela primeira vez desde 2009

Segundo os dados oficiais, a economia sofreu um recuo de 0,7% no segundo trimestre de 2018, após uma contração de 2,6% no primeiro trimestre. Considera-se que um país entrou em recessão após dois ou mais trimestres consecutivos de contração económica.

A economia sul-africana, uma das maiores de África, enfrenta vários desafios.

A conjuntura desfavorável resulta essencialmente do mau desempenho do setor agrícola, que comparativamente aos três primeiros meses do ano, registou uma queda de 29,2%, mas também o comércio e os transportes contribuíram para esta situação.

Os três setores representam 1,5% do PIB sul-africano.

Outros setores como os serviços financeiros e o setor mineiro cresceram neste trimestre, mas não o suficiente para compensar a contração geral da economia nacional.

Estes dados representam um revés para o Governo liderado por Cyril Ramaphosa que, desde que chegou ao poder, após a demissão de Jacob Zuma no passado mês de fevereiro, elegeu como principal objetivo a reanimação da economia sul-africana.

A conjuntura negativa já teve efeitos nos mercados, com o rand, a moeda nacional, a registar uma descida de quase 3%, face ao dólar, nas últimas 24 horas.

Comentários