EIU: Moçambique cresce “apenas 3,4% em 2019”

A consultora Economist Intelligence Unit (EIU) antevê que Moçambique cresça “apenas 3,4%” no próximo ano, com um desempenho fraco em vários sectores da economia, que aceleram depois para 4,5% entre 2020 e 2022.

05 Dez 2018 / 17:38 H.

Numa nota de análise ao país, enviada aos investidores que a Lusa teve acesso, os analistas dizem que o “acesso limitado” dos agricultores ao financiamento vai continuar a limitar o crescimento no sector agrícola e uma queda nos preços do carvão vai agir como um obstáculo ao aumento da produção mineira. Por outro lado, acrescentam, as dificuldades financeiras do Governo e os pagamentos atrasados aos fornecedores “vão continuar a penalizar fortemente o sector bancário, bem como a prejudicar a confiança dos investidores”.

Segundo os analistas partir de 2023, o panorama muda com o início da produção e exportação de gás natural, diz a EIU

“Isso vai dar gás à economia, que no final do período em análise (2023) deverá crescer 7,5%”.

Recorde-se que recentemente, a EIU avaliou o risco de crédito soberano de Moçambique em CC, mas alertava que “o resultado foi piorado em seis pontos devido ao avolumar de pressões de liquidez sobre a moeda externa”, mas também devido à perspectiva de continuação do incumprimento para os detentores dos empréstimos às empresas públicas MAM e ProIndicus.