Nova geração de líderes africanos debate hoje migrações e emprego em Abidjan

Jovens de 34 países de África discutem hoje, em Abidjan, Costa do Marfim, as suas expectativas sobre o emprego e as migrações num encontro que junta toda uma nova geração de líderes africanos.

05 Abr 2019 / 10:28 H.

O New Generation Forum (NGT), que decorre durante todo o dia, marca o arranque do “Mo Ibrahim Governance Weekend” e antecede o Fórum Mo Ibrahim de Governação, este ano dedicado aos temas da juventude, emprego e migrações.

A ideia, explicou a organização, é discutir as expectativas da nova geração de líderes africanos no contexto deste tema, mas também propor soluções que serão depois apresentadas no Fórum Mo Ibrahim por três representantes.

“É a África de hoje e é muito importante que participem, que apresentem as suas expectativas e proponham soluções”, sustentou Nathalie Delapalme, diretora-executiva da Fundação Mo Ibrahim durante um encontro com a comunicação social.

Entre os oradores no fórum contam-se Francisca Awah Mbuli, dos Camarões, sobrevivente de tráfico humano e escravatura moderna, que fundou e dirige a Survivors Network, uma organização não-governamental camaronesa que apoia vítimas de tráfico.

Participa também Moussa Kondo, que fundou, no Mali, uma secção do Accountability Lab, uma organização sem fins lucrativos que promove a prestação de contas públicas em seis países africanos e asiáticos, e, entre outros, Francisca Noronha, ativista dos direitos dos jovens e das mulheres em Moçambique.

Os jovens que participam no encontro poderão ainda ouvir o testemunho de Brigitte Perenyi, produtora e apresentadora de documentários do Gana.

O seu documentário “My stolen Childwood”, sobre a sua experiência de ter sido retirada à família para ser dada como oferenda religiosa para expiação pelo comportamento de um familiar, recebeu o prémio Melhor Documentário da Association International Broadcasting (AIB).

O fim de semana Mo Ibrahim de Governação é um evento de três dias que reúne, numa capital africana a cada ano, líderes políticos e empresarias, representantes da sociedade civil, instituições regionais e multilaterais, bem como os principais parceiros internacionais de África “para debaterem um tema crucial para o continente”, segundo a organização.

Este ano, o encontro pretende homenagear o legado do antigo secretário-geral das Nações Unidas Kofi Annan, falecido em 2018, e é dedicado aos desafios e oportunidades das migrações e à sua relação com as expectativas de emprego e mobilidade dos jovens africanos.