Depois de Ronaldo, Autoridade Tributária espanhola investiga Neymar por suspeitas de fuga ao fisco

A Autoridade Tributária de Espanha abriu uma investigação ao brasileiro Neymar, por suspeitas de fuga ao Fisco, conta esta segunda-feira o jornal “El Mundo”.

11 Mar 2019 / 14:51 H.

Na base desta investigação estará o pagamento do prémio de renovação quando o avançado jogava no FC Barcelona assinado pouco antes de deixar o clube para rumar aos franceses do Paris Saint-Germain.

O Fisco espanhol exigiu toda a documentação de ambas as operações para verificar se estas foram devidamente tributadas em Espanha. Esta investigação é considerada bastante incomum pelo facto de Neymar e o FC Barcelona, estarem envolvidos num processo judicial para saldar dívidas pendentes.

O prémio de assinatura ascendeu aos 64,4 milhões de euros brutos, sendo que o FC Barcelona fez um primeiro pagamento a Neymar no valor de 23,7 milhões antes de impostos e a saída do jogador deixou em pendente o pagamento do resto do montante.

O clube catalão recusa fazer o segundo pagamento e agora reivindica a devolução de todo o prémio com juros, bem como uma multa por danos, em cerca de 75 milhões de euros. Por sua vez, Neymar requer o montante que resta a ser cobrado com juros. O julgamento para resolver o diferendo será realizado no próximo dia 21 de março.

O objectivo do Fisco passa por determinar se Neymar pagou os impostos sobre o prémio de renovação, bem como da sua contratação pelo clube parisiense em 2017, no valor de 222 milhões de euros. Isto porque o brasileiro ainda viveu em Espanha por mais de 183 dias em 2017, antes de rumar a Paris, sendo por isso obrigado a declarar todos os seus rendimentos, tanto do Barcelona como do Paris Saint-Germain, como residente fiscal espanhol.

Paralelamente, o Fisco também exigiu o contrato entre Neymar e o PSG, que foi levado ao tribunal pelo clube francês, mas com uma particularidade. É que o documento enviado de França indicava que os números do acordo são confidenciais, o que causou surpresa no tribunal, que deverá exigir ao PSG que divulge todos os números envolvidos.

Temas