Netflix regista quebra nas acções e menos assinantes no segundo trimestre

O aumento dos preços da plataforma de streaming em alguns dos seus principais mercados, entre os quais os Estados Unidos, levou a que as suas ações caíssem quase 10%.

EUA /
18 Jul 2019 / 10:30 H.

A Netflix registou menos assinantes pagos do que o esperado no segundo trimestre, muito por culpa do aumento dos preços em alguns dos seus principais mercados, incluindo os Estados Unidos e que levou as acções da plataforma de streaming a caírem quase 10%, revela a agência “Reuters” esta quarta-feira.

“Não acreditamos que a competição tenha sido um factor, já que não houve uma mudança significativa no cenário competitivo durante o segundo trimestre, e a intensidade competitiva e a nossa divulgação são variadas em todas as regiões”, referiu a empresa em comunicado.

Globalmente, a empresa adicionou 2,7 milhões de assinantes pagos, em comparação com a estimativa dos analistas que era 5,05 milhões, de acordo com dados do IBES da Refinitiv.

“Embora a nossa participação nos Estados Unidos tenha sido praticamente estável no segundo trimestre, esperamos que ela volte a um crescimento mais típico no terceiro trimestre, e estamos a ver isso nas primeiras semanas do terceiro trimestre”, afirmou a Netflix numa carta enviada aos accionistas.

A empresa pretende adicionar de forma global sete milhões de assinantes no trimestre actual, em comparação com as estimativas de 6,5 milhões, de acordo com dados do IBES da Refinitiv. As acções da Netflix subiram 35% até agora este ano, ficando apenas atrás da rede social Facebook.

O lucro líquido caiu para 241 milhões de euros (270 milhões de dólares) no trimestre encerrado a 30 de junho, face aos 342 milhões de euros (384 milhões de dólares) registados no período homólogo de 2018.

Já a receita total subiu dos 3,4 milhões de euros (4,9 mil milhões de dólares), para os 4,3 mil milhões de euros (4,9 mil milhões de dólares).