Quem é Mark Cuban, o ‘tubarão multimilionário’ que ensina a ficar rico

Donald Trump já chamou o empresário de ‘estúpido’, e Cuban desafiou o presidente a raspar a cabeça; conheça esse investidor, estrela de televisão, produtor e actor que adora dar declarações polémicas e ser o centro das atenções.

Cuban já revelou que pensa em disputar a Presidência dos EUA em 2020 e, toda vez que tem oportunidade, dá “lições de como ficar rico”. Aos 59 anos, escreveu uma série de livros sobre o êxito nos negócios, com títulos (em tradução livre) do tipo “Como ganhar no Esporte dos Negócios”, “Como lançar e fazer crescer um negócio” e “Como aumentar sua renda em quantidades assombrosas”.

“Não tinha nada”

Ele gosta de contar que tinha apenas US$ 60 no bolso quando entrou na Universidade de Indiana (EUA) aos 23 anos e foi morar num apartamento de três quartos com outras cinco pessoas.

“Não tinha nada, então também não tinha nada a perder”, diz.

Em Dallas, conseguiu um emprego para vender softwares, apesar de não ter noções de computação. Em pouco tempo, deu-se conta de que gostava de informática. “Aprendi sozinho a programar. Podia passar sete ou oito horas fazendo isso sem descansar”, conta.

Então, ele criou a MicroSolutions, empreendimento que venderia por US$ 6 milhões em 1990.

Seu segundo negócio, um serviço de streaming de áudio chamado Broadcast.com, criado em parceria com o sócio Todd Wagner, foi vendido ao Yahoo! em 1999 por US$ 5,7 bilhões, antes da chamada “crise do pontocom”.

Desde então, ele passou a diversificar as apostas comerciais e a investir em direções distintas.

Frugalidade até certo ponto

Nascido em Pittsburg, na Pensilvânia, Cuban cresceu numa família judia que originalmente carregava o sobrenome Chabenisky até que o avô, de origem russa, decidiu trocar para Cuban quando foi viver nos EUA.

Minha mãe queria que eu aprendesse a instalar carpete”, diz Cuban. “Ninguém tinha grandes esperanças em mim.”

Mas o empresário, que quando jovem trabalhou como camareiro, professor de dança e promotor de festas, tinha outros planos para a própria vida. Quando finalmente ele decidiu se aventurar no mundo dos negócios, teve um livro que lhe marcou:
Fazendo Dinheiro no Sonho Americano: como se aposentar aos 35, de Paul Terhorst.

O livro fala sobre economizar dinheiro e viver com menos do que se tem, colocando foco nas grandes prioridades pessoais. “Eu fiz coisas como dividir apartamento com os outros, comer macarrão com queijo e viver de uma maneira frugal”, recorda.

Informação privilegiada?

Os negócios de Cuban, contudo, já atraíram suspeitas.

A Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC, na sigla em inglês) entrou com um processo civil contra o empresário por suspeita de que Cuban tenha usado informação privilegiada num negócio com a empresa Mamma.com.

Cuban, por sua vez, sempre negou as acusações e diz que nunca se comprometeu em manter essa operação sob sigilo.

Depois de várias decisões e recursos judiciais, em 2013, um juiz declarou Cuban inocente.

 

Comentários