Apple quer desenvolver chip móvel para aplicações médicas

A Apple está a desenvolver um chip para gadgets e aplicações médicas. De acordo com a CNBC, que detetou a oferta de novos postos de trabalho no campus da empresa norte-americana, este componente seria capaz de processar dados biométricos dos utilizadores através do portefólio de produtos que a tecnológica já possui.

O canal televisivo sublinha que a gigante quer expandir as suas capacidades no sector das tecnologias de aplicação médica e adianta que as vagas disponíveis indicam que o plano passa pelo desenvolvimento de um chip que ficará exclusivamente encarregado de processar estes dados.

“Estamos à procura de engenheiros especializados em ASIC para auxiliarem o desenvolvimento de novos sensores e sistemas que vão integrar futuros produtos da Apple”, escreve a empresa que, num outro anúncio, afirma precisar de engenheiros que ajudem a “desenvolver sensores de saúde, bem-estar e fitness”.

Recorde-se que o processador A11 Bionic, que podemos encontrar no iPhone X e no iPhone 8, contém o chamado “Motor Neural” que ajuda a acelerar o sistema de inteligência artificial utilizado para agilizar os sistemas de FaceID e Animoji. A CNBC especula que um chip especificamente desenhado para aplicações médicas possa funcionar de forma semelhante, impulsionando a atividade dos sensores e sistemas de monitorização médica.

A integração deste componente em aparelhos da Apple não deverá estar para breve, uma vez que o próximo Apple Watch e os próximos iPhones deverão chegar ao mercado já no próximo mês de setembro ou outubro.

Comentários