TAAG pode servir companhia do Bangladesh

A TAAG está a preparar uma operação “wet lease”, com a qual freta, de Julho a Setembro – por um período de 45 dias -, um Boeing 777-300-ER, com tripulação,  à sua congénere Bangladesh Airlines.

A informação foi avançada ontem ao Jornal de Angola pelo presidente do Conselho de Administração da TAAG, José Kuvingua.

O administrador adiantou que, apesar da operação ter enormes possibilidades de vir a ser concretizada decorre, ainda, enquanto um projecto.“Existem ideias na empresa que estão ao nível de estudos por parte de equipas e que, após a conclusão, serão remetidas à consideração superior para obterem as autorizações”, declarou José Kuvingua para ilustrar o estágio da evolução da operação.

O presidente do Conselho de Administração da TAAG considerou que caberá ao ministro encetar outros trâmites na cadeia hierárquica do Estado para a obtenção das autorizações necessárias para a concretização da operação.Os estudos, prosseguiu José Kuvingua, incidem, entre outras matérias, sobre os cálculos aos quais as equipas constituídas se estão a debruçar, o que a fonte alegou para não indicar que valores estão envolvidos na transacção.

A  decisão de estabelecer essa operação pode ser explicada dessa forma, na perspectiva da Bangladesh Airlines, mas, indicou José Kuvingua, o interesse da TAAG reside na rentabilização da frota, decidida no plano estratégico da companhia há cinco anos, apresentado ao mercado no começo de Junho.

A TAAG é composta por 13 aviões Boeing, três dos quais 777-300 ER, com mais de 290 lugares e recebidos entre 2014 e 2016. Conta ainda com cinco 777-200, de 235 lugares, e outros cinco 737-700, com capacidade para 120 passageiros, estes utilizados para as ligações domésticas e regionais, com a operação não rentabilizada.

 

Comentários