Primavera lança ERP específico para arranque do IVA em Angola

Por Ricardo David Lopes

ricardo.lopes@mediarumo.co.ao

A Primavera vai lançar uma versão actualizada do seu software de gestão com as especificações necessárias à implementação do IVA e extinção do Imposto de Consumo, revela ao Mercado o Territory Manager da empresa para Angola e Moçambique, José Simões. A companhia de origem lusa tem soluções de Enterprise Resource Planning (ERP) instaladas em cerca de 5.000 empresas no País, e a actualização e migração para o IVA é gratuita para clientes com contratos activos.

Segundo o responsável, o lançamento da nova versão irá ocorrer logo que seja aprovado o Código do IVA pela Assembleia Nacional, o que deve ocorrer em Outubro, pois há elementos – incluindo a própria taxa a aplicar – que não estão ainda fechados. “Os clientes que tenham contrato de continuidade activo não terão custo com software”, reforça, admitindo que possam, contudo, suportar encargos com fornecimento de serviços, incluindo formação de pessoal.

A Primavera, há mais de 15 anos em Angola, tem actualmente cerca de 5.000 clientes no País, incluindo perto de 60 na categoria de grandes contribuintes, aqueles a quem se vai aplicar, obrigatoriamente, o IVA a partir 400 empresas com este estatuto, incluindo telecoms, retalhistas, importadores, entre outros.

Mas, no período transitório previsto pela Administração Geral Tributária (AGT) para 2019/2020, espera-se que muitas outras empresas adiram ao IVA. Basta que tenham contabilidade organizada e facturação anual superior ao equivalente a 250 mil USD, lembra o responsável, alertando para as vantagens que terão em entrar mais cedo no sistema (ver caixa). A Primavera Angola está desde Janeiro a reforçar contactos com a sua rede de cerca de meia centena de parceiros e muitos clientes, no sentido de entenderem a necessidade de adaptarem os ERP das empresas para o IVA, mas, afirma José Simões, ainda há muita gente que “não acredita que o novo imposto vá ser uma realidade”. “A implementação do IVA, do ponto de vista tecnológico, não ocorre com um estalar de dedos”, alerta, lembrando que, para além do investimento em software – nas empresas que não têm ainda sistemas de ERP, que a prazo terão que ter -, tem que apostar-se na formação de recursos humanos.

Semana do IVA em Outubro

A Primavera está desde Maio a trabalhar muito proximamente com a AGT nesta matéria, e José Simões reconhece o “grande e esforço” do organismo para que tudo esteja a postos na data prevista .

Em Outubro, a tecnológica vai lançar várias iniciativas para divulgar o IVA e a importância de as empresas se prepararam para a nova realidade, incluindo uma Semana do IVA, “totalmente dedicada” ao imposto. Entre os eventos está uma “grande conferência”, onde estarão presentes elementos da AGT, incluindo da área técnica do organismo, empresas, parceiros, gestores e economistas, entre outros. Também para os jornalistas haverá um evento próprio, adianta o Territory Manager. Software pode ser alugado As ferramentas ERP das companhias estão adaptadas à dimensão dos clientes, com a linha Starter para as microempresas, Professional para as intermédias, e Executive, para grandes clientes. Em 2017, a Primavera abriu a possibilidade de os clientes da linha Starter alugarem o software, em vez de terem que comprar a licença, e já este ano alargou este regime aos clientes da linha Professional. Actualmente, revela José Simões, a companhia está a procurar negociar com alguns bancos a abertura de ‘pacotes’ de linhas de crédito, para que alguns operadores possam adquirir software, pois o aluguer aplica-se a empresas de menor dimensão. Entretanto, a Primavera Angola tem promovido acções de formação específicas sobre o IVA junto de colaboradores dos seus parceiros e de empresas, abrindo ainda as portas, gratuitamente, a desempregados na área da contabilidade, de forma a que possam, depois, ficar munidos de valências que contribuam para que regressem ao mercado de trabalho.

Comentários