Lesoto acolhe primeiro serviço 5G em África

Por Paulo Narigão Reis 

O Vodacom Group, um dos maiores operadores de telecomunicações africanos, lançou no Lesoto o primeiro serviço comercial 5G do continente. A empresa sediada na África do Sul revelou que o lançamento do serviço foi acelerado graças à disponibilidade da banda de 3.5GHz no Lesoto.

No entanto, a empresa também disse que pretende replicar as mesmas capacidades de rede 5G na África do Sul, uma vez que a largura de banda necessária, que o tornará eficiente, é atribuída pela agência de telecomunicações do país.

O serviço 5G (quinta geração) no Lesoto será feito à escala comercial, superando a rede móvel 4G LTE que está actualmente em uso em todo o mundo. Sendo o primeiro país africano a desfrutar desta tecnologia, espera-se que o Lesoto dê um grande salto na sua transformação digital e consequente crescimento em todos os sectores da economia. A Vodacom mostra-se também optimista no que diz respeito às possibilidades de alargar o serviço a mais países africanos, caso a largura de banda necessária seja disponibilizada. “A Vodacom orgulha-se de ser líder de mercado e estamos extremamente satisfeitos por sermos os primeiros a prestar serviços 5G aos clientes em África. O que fizemos no Lesoto é um exemplo do que pode ser alcançado em todo o continente, caso a largura de banda necessária seja também disponibilizada ”, disse Shameel Joosub, CEO do Vodacom Group, em comunicado à imprensa. “A Vodacom poderá disponibilizar serviços 5G aos seus clientes na África do Sul assim que exista largura de banda para tal. Os avanços tecnológicos globais estão a evoluir a ritmo acelerado e a África do Sul não pode ficar para trás, particularmente quando analisamos alguns dos casos de potencial utilização do 5G para apoiar sectores críticos de nossa sociedade, como saúde e educação ”, acrescentou Joosub.

O lançamento do serviço de quinta geração é, para a Vodacom, uma conquista marcante nas telecomunicações em África e coloca a empresa na dianteira da corrida para estabelecer um serviço comercial 5G em África antes de 2020. Na África do Sul, empresas rivais da Vodacom têm feito uma série de testes mas o serviço está ainda para ser implantado. No que ao Lesoto diz respeito, apenas 4% da população de 2,2 milhões do reino tem actualmente acesso a serviços de internet mas o lançamento da rede 5G pode levar à pequena e montanhosa nação encravada no território sul-africano o aumento da produtividade

Comentários