João Lourenço apela à UE para ajudar Angola a superar os constrangimentos da economia

João Lourenço iniciou o seu discurso na sessão plenária do Parlamento Europeu (PE) em Estrasburgo manifestando a “grande honra” de poder dirigir-se aos “ilustres deputados” do Parlamento, “um dos espaços maios respeitados na promoção da democracia”, e elogiando o acolhimento cordial que lhe foi reservado e que traduz “o bom relacionamento de Angola com a UE”.

“Não quero deixar de aproveitar este momento singular para manifestar o meu desejo de um diálogo permanente e franco com o PE, baseado no respeito mútuo, para que se reforce a nossa cooperação em todos os domínios de interesse comum”, vincou.

João Lourenço disse então contar com a UE como um “importante parceiro” que ajude Angola a superar os constrangimentos que ainda encontra para colocar “a economia angolana ao serviço do desenvolvimento, do progresso e do bem-estar das populações”, reconhecendo que o esforço de reconstrução nacional empreendido nos últimos anos ainda “é insuficiente” para fazer face às necessidades de empresas e populações nas áreas de energia, água, escolas e hospitais.

O chefe de Estado angolano, que recordou os anos de guerra civil e os milhares de mortos e destruição deles resultantes, afiançou que o seu executivo continua empenhado em “aprofundar o processo democrático e melhorar as condições que permitam um ambiente favorável à diversidade de opiniões, à liberdade de expressão, e, no geral, ao respeito pelos direitos fundamentais dos cidadãos”.
“Desde a minha investidura como Presidente da República, tenho procurado implementar políticas que beneficiem as populações em concertação com todos os atores políticos e sociais da Nação. O executivo que dirijo tem focado a sua atenção na implementação de programas de estabilização macroeconómica e de consolidação fiscal com vista a reduzir os efeitos da inflação e normalizar o mercado cambial”, lembrou.

Tal como há exatamente um mês, em Bruxelas, João Lourenço acenou com a “verdadeira cruzada contra a corrupção e a impunidade em toda a sociedade” levada a cabo pelo seu Governo, enumerando, de seguida, as medidas tomadas desde que assumiu a presidência, em setembro de 2017.

João Lourenço tornou-se hoje o primeiro chefe de Estado angolano a discursar no Parlamento Europeu.

Entre o final de maio e início de junho, João Lourenço efetuou visitas oficiais a França e Bélgica, tendo sido já recebido em Bruxelas pelo presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk.

Comentários