Grupo Simples aguarda resolução para explorar on shore angolano

Por Edjaíl dos Santos

A petrolífera angolana Simples Oil & Gás está “dependente de uma decisão governamental sobre o arranque do projecto dos blocos terrestre no país para começar a exploração de petróleo em Angola”, soube o Mercado numa entrevista, por correio electrónico, concedida pela administração da empresa. “Temos alinhados alguns possíveis parceiros para o início da exploração e produção em Angola, mas não estamos ainda numa posição de divulga-las por questões contratuais.

Dependendo do que serão as decisões a nível governamental a cerca do projecto global dos blocos terrestres, daremos o devido seguimento”, explica a administração da firma acrescentando que grande objectivo nos próximos anos é de se tornarem operadores efectivos.

Desde 2005 a operar no sector petrolífero, após um período como provedor de serviços, a empresa abraçou em 2017 o desfio de se tornar uma exploradora e produtora de óleo e gás com a aquisição de concessões no Leste do Texas, Estados Unidos da América, estando nesse momento a trabalhar no crescimento da produção nesses blocos.

“A nossa aposta no Texas deu resultados muito positivos, estamos neste momento com uma produção diária de aproximadamente 1000 barris/dia acumulados de 11 poços de produção. Queremos consolidar a nossa presença no sector petrolífero naquele mercado, qualquer investimento feito fora disso será baseado em alguma análise que demostra uma grande oportunidade de acréscimo de valores para nossa estrutura financeira”, revela a gerência do Grupo Simples. No que diz respeito as operações nos EUA, a firma informa que tem um investimento já aprovado de cerca de três milhões USD previsto para os próximos dois anos que permitirá a expansão para mais poços de produção. “O investimento é a base de sucesso do negócio, estando em períodos de estabilidade ou instabilidade é necessário pensar sempre pra frente e nunca ficarmos estagnados, senão corremos o risco de perder boas oportunidades”, reforça direcção da companhia.

O Grupo Simples tem uma carteira de negócios que abrange vários serviços dentro do sector petrolífero em Angola, desde a inspecção (NDT e Içamentos de cargas), montagem de andaimes, alocação de pessoal especializado, gestão de fornecedores, pintura e revestimento, gestão e aluguer de ferramentas de perfuração, serviços de catering, e gestão e serviços de controlo de fluidos. “São nossos clientes os grandes players do sector petrolífero, nomeadamente, Chevron, BP, Total, Exxon Mobil, Sonangol P&P, Halliburton, Schlumberger, Angola LNG e Weatherford”, confidencia a administração da petrolífera.

A firma admite que com os novos investimento em curso o grupo de trabalhadores irá crescer. Neste momento contamos com uma força de trabalho de 250 colaboradores efectivos.

A nossa estratégia sempre foi de investir para o futuro, o que significa apostar na aquisição de conhecimento e novas competências, só assim teremos a confiança de apostar em novos desafios”, adianta a fonte. companhia observa que em todas as décadas existem sempre um período de instabilidade económica, cabe a cada empresa ter um plano de contingência para contrabalançar o impacto causado a estrutura financeira. Este período trouxe grandes oportunidades para as empresas reavaliarem as suas bases e formar novas estratégias de actuação.

“A indústria petrolífera tem um papel fundamental para a alavancagem de todos sectores económicos do país, pois é a maior indústria do país e a maior fonte de rendimento, isto significa que o know howe as receitas provenientes deste sector podem ser usadas como ferramentas para construir os outros sectores”, concluí a empresa.

Comentários