Facebook e Twitter defendem-se no Congresso dos EUA

Executivos de topo do Facebook e do Twitter defenderam as suas empresas, no Congresso dos Estados Unidos, esta quarta-feira.

Os congressistas acusam as redes sociais de falharem no combate aos esforços estrangeiros contínuos de influenciarem a política norte-americana.

“Nós estamos focados, tal como vocês, nas próximas eleições intermédias e noutras eleições em todo o mundo. Os nossos esforços em eleições recentes na Alemanha, Itália, no México e na eleição especial para o Senado no Alabama mostram que os investimentos estão a dar resultados”, afirmou a directora de operações do Facebook, Sheryl Sandberg.

“Demos connosco mal preparados e iludidos perante a imensidão de problemas que reconhecemos. Se não encontrarmos soluções para os problemas que estamos a ver, perdemos o nosso negócio e continuamos a ameaçar o privilégio original e a liberdade que nos foi concedida ao criar o Twitter, em primeiro lugar”, sublinhou o CEO do Twitter, Jack Dorsey.

As questões da privacidade tiveram impacto nas contas das empresas, obrigadas a gastar em novas medidas, algumas das quais tornaram mais difícil aos anunciantes chegarem aos consumidores.

O Comité dos Serviços de Inteligência do Senado queria ouvir o presidente executivo da Google, mas a empresa preferiu enviar Kent Walker, um dos melhores advogados da empresa, proposta que não foi aceite pelo Comité.

 

Comentários