Custo das compras do Estado caiu 42%

O custo das aquisições públicas reduziram em 42%, nos últimos 3 anos, com a aplicação do Acordo -Quadro (AQ) que substituiu os métodos tradicionais e isolados, afirmou o responsável do departamento da direcção nacional do património do Ministério das Finanças, Gerson de Carvalho.

Ao falar no seminário sobre “Acordos quadro e centrais de compras”, promovido pelo Ministério da Finanças, confirmou que a redução é resultado da aplicação do AQ num projecto piloto que incluiu 3 empresas, 8 entidades, a compra de 400 produtos de material de economato e papel em contratos de 3 anos.

Gerson de Carvalho disse que o Acordo–Quadro padroniza os contratos entre as entidades públicas e fornecedores, permite gerir melhor o catálogo de produtos e reduz os custos operacionais.

Declarou que o acordo anui aos fornecedores maior conhecimento, melhor planeamento, gestão e redução de custos na constituição dos stocks, o que permite a melhoria da relação entre cliente e fornecedores a longo prazo.

As empresas públicas beneficiam de descontos por volume, facilidade de negociações, planeamento integrado e revisão de especificações, assegurou.

Dentro deste quadro, as empresas públicas usufruem de benefícios operacionais, designadamente, melhoria no processo de orçamentação, maior controlo das despesas públicas, maior qualidade dos produtos, partilha de recursos informáticos, ferramentas de suporte e a redução do número de recursos humanos.

Para a directora geral do Serviço Nacional de Contratação Pública (SNCP), Rosaria Filipe, esta ferramenta contribui para uma maior transparência no processo de contratação pública.

Comentários