Angola vende à Europa em regime preferencial

Angola aderiu, em Julho, a um novo regime de certificação de origem das mercadorias designado Sistema do Exportador Registado (REX), com o que se habilita a enviar remessas para o mercado único europeu em condições preferenciais.

Um relatório apresentado no Conselho Consultivo do Ministério do Comércio realizado em Junho, em Ndalatando, dava conta de iminência da adesão, naquela altura, o que foi, na sexta-feira, confirmado junto da chefe adjunta para a Cooperação da Representação da União Europeia em Angola.

Marta Brites confirmou a adesão e considerou que “há interesse de Angola e dos produtores angolanos em aderirem ao Sistema REX para facilitar as suas exportações para o nosso mercado”.

A diplomata notou que, no caso de Angola,  anteriormente exportava apenas petróleo para o mercado único europeu, “hoje, aposta na diversificação e esse mecanismo assume enorme importância para o seu desenvolvimento socioeconómico”.

Qualquer país interessado em exportar mercadorias para o mercado europeu deve aderir ao Sistema REX, sublinhou Marta Brites.

De acordo com o relatório do Ministério do Comércio, a adesão de Angola ao REX já estava  viabilizada pela subscrição do Sistema Preferencial Generalizado (SPG) das Nações Unidas, que conduz uma iniciativa do fórum do comércio internacional chamada “Tudo Menos Armas”.

Criado para a uniformização e simplificação dos processos de exportação, o SPG já é aplicado em 63 países, sendo apoiado por um sistema informático da UE, administrador pelos países que pretendem exportar produtos ao abrigo de um regime comercial preferencial.

 

Comentários