Aposta do Banco Mundial em África é “grande oportunidade” para empresas portuguesas

O administrador do Banco Mundial em representação de Portugal, Paulo Pedroso, disse à Lusa que o recente aumento de capital do banco e o mandato para apostar em África representam “uma grande oportunidade” para as empresas portuguesas.

“Em termos de apoio ao investimento, há uma reorientação no sentido de aumentar o apoio ao setor privado em África, o que, dada a orientação tradicional das empresas portuguesas, em particular para a África lusófona, implica uma maior atenção do banco para todos estes projetos de investimento, para os quais há uma grande disponibilidade para apoiar”, disse Paulo Pedroso em entrevista à Lusa.

“O recente aumento de capital, em abril, veio acompanhado de um pacote de recomendações estratégicas, que diz que é objetivo do Grupo Banco Mundial, em todas as componentes, dirigir-se para contextos de risco, o que se transmite para as empresas potencialmente interessadas é haver uma instituição com todo o leque de instrumentos de riscos que podem ser mobilizados e orientada especificamente para investir em contextos difíceis, o que é uma grande oportunidade para as empresas portuguesas que queiram investir na África lusófona”, vincou o administrador executivo suplente do Banco Mundial.

Questionado sobre a utilização que as empresas portuguesas fazem dos mecanismos de financiamento ao seu dispor quando decidem investir noutro país, Paulo Pedroso reconheceu que os instrumentos disponibilizados pelo grupo financeiro do Banco Mundial (GBM) não são ainda muito utilizados pelas empresas.

“Quando vão aos concursos financiados pelo GBM, vão pelo conhecimento que têm do mercado, ou seja, estão em Angola e sabem do concurso por Angola, não é uma abordagem estratégica do banco, é sim do mercado onde o banco aparece como financiador”, explicou o antigo governante português.

Comentários